visitas

sábado, 31 de outubro de 2009

Lançamento do livro VINGANÇAS DE SANGUE

Saudações, noturnos!

É com grande satisfação que estou postando o flyer do lançamento do livro de minha autoria "Vinganças de Sangue", que ocorrerá dia 05 de novembro de 2009, no Let´s Rock Bar, a partir das 20 horas e deve rolar até mais ou menos 21he30min.
Todos estão convidados! A entrada é franca.
É claro que, como autor brasileiro, independente e sem muito apoio do comércio da cidade (Infelizmente!) NÃO será open bar, ou seja, a entrada é franca, mas o consumo e pagamento no estabelecimento é de responsabilidade de cada um.
Mas o que interessa mesmo é o lançamento do livro.
Cada exemplar custa R$ 35,00 (Trinta e cinco reais).
Quem puder, compareça ao lançamento e dê uma força! Vai ser uma noite muito legal, com muito som que transmite todo o clima vampírico dessa noite. E se possível, adquiram o livro, ok?! ;)....

Desde já quero agradecer o apoio da galera do Let´s Rock bar que cedeu o espaço e estão super animados! Agradecer também o patrocinador: Libertas Livraria, que apoiou a iniciativa. E também o pessoal da Nathystar Cosméticos e Descartáveis, que são representantes autorizados da Bellkey aqui na região.

(Para visualizar o flyer maior, clique nele)

As vendas do livro começam dia 05 de novembro de 2009, então para quem não está em Poços, e quiser comprar, colocarei as instruções, ok? ;)....

Já tenho pelo menos duas matérias previstas para fazer sobre o livro, sendo uma para jornal impresso e outra para tv. Assim que possível, irei postá-las aqui.

Estou super ansioso, afinal, como novo autor, espero que gostem do conteúdo do livro, que garanto a vocês, foi feito com muita atenção, responsabilidade e empenho.

Obrigado a todos que deram força para que eu chegasse até este momento!

Apoie um autor nacional e estimule a literatura fantástica nacional! ;)....

Kampos

Estamos chegando... Estão preparados?!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Cards de Vampiros

Saudações, notívagos!

Dando uma pausa nas postagens a respeito do meu livro "Vinganças de Sangue", que em breve divulgarei a data de lançamento, abordarei mais uma mídia na qual estão presentes os Vampiros.
Todo momento há algo novo entrando na moda, e com os vampiros é a mesma coisa. Percebemos quando estão no auge, no gosto popular, quando principalmente passam da literatura para as telas do cinema, para os argumentos de seriados e mais ainda, quando viram temas de promoções, como o caso que apresentarei nesta postagem.

Apresento a vocês a promoção "Vampiros" da Elma Chips.
A intenção desta postagem não é fazer propaganda do produto, mas sim, apresentar mais uma mídia diferente na qual os vampiros foram bem inseridos.

Elma Chips é uma empresa já antiga e líder de mercado que aborda principalmente o público infantil com os seus "salgadinhos", mas muitas vezes, chamando mais a atenção pelas suas promoções.















A promoção deste momento me chamou muita atenção, pois consiste em uma coleção de cards de vampiros.
São 24 cards diferentes em 03 formatos, imitando caixão, cruz e lápide.

Os cards acompanham os salgadinhos da linha "Fandango", Cheetos", "Cebolitos" e "Baconzitos".

Nem preciso dizer que achei super interessante, e no mesmo momento, tratei de comprar um salgadinho já para ganhar meu primeiro card.

Os desenhos são bem legais. Os cards apresentam vários vampiros bem diferentes uns dos outros, além de 06 cards especiais, chamados de "Lentes secretas", este acompanham apenas as embalagens maiores de "Cheetos" e "Fandangos".

A coleção consiste de um jogo, no qual cada card possui três poderes, que são: Defesa, Transformação e Ataque. Ganha aquele que tiver a numeração maior. Mais interessante o jogo fica com o uso dos cards "Lentes Secretas", os quais, ao colocá-los sobre o card normal de vampiro, demonstram um número que deverá ser acrescido na somatória do poder indicado para tentar ganhar do adversário.

Particulamente, prefiro colecionar do que jogar. Também senti a falta de uma estória criada para os cards, explicando e apresentando os personagens. Não precisaria vir no card, poderiam colocar no verso das embalagens ou no próprio site, criando um maior vínculo entre o público e o produto. Apesar disso, achei muito legal ver o assunto "Vampiros" tão no auge, e sei que, como nas outras vezes que isso aconteceu, logo as febre passa, dando lugar a outro modismo. O lance para nós que curtimos o assunto é aproveitar enquanto essa febre acontece.

Para conhecer mais sobre a promoção, visite o site: http://www.cheetos.com.br/vampiros/

Esta dica foi bem diferente, não é? Espero que tenham curtido! E comecem suas coleções!

Deixem seus comentários ao final desta postagem.

Pensam que nos conhecem, nos entendem, mas não sabem de nada, nem imaginam o que somos na verdade. Tolos! Continuem viajando na imaginação, e quando menos esperarem, iremos visitá-los!

Saudações, amigos!

Atendendo pedido, eis a imagem da figura do "Lobisomem", que faz parte da coleção de cards "Vampiros", da Elma Chips.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

E o título é...

Saudações, caros amigos e amigas da noite!

Como já relatei nas postagens anteriores, estou na correria para conseguir fechar local e patrocinadores para o lançamento de meu primeiro livro. Por isso, no momento, não estou postando comentários sobre filmes, seriados, músicas... E sim sobre o livro que estou para lançar.

Os exemplares já se encontram comigo, mas aguardo o lançamento para começar as vendas.



Mas para dar mais um gostinho sobre o livro, hoje divulgo a vocês finalmente o nome do mesmo.

Vinganças de Sangue

A logo e o slogan vocês conferem nesta imagem que acompanha a postagem.

O livro ficou muito legal, o acabamento está bem bonito. Possui 288 páginas, capa plastificada e com orelhas.

Até próximo ao lançamento, que se tudo der certo, deve rolar no máximo até a primeira semana de novembro/2009, vou divulgando detalhes, sinopses, e valor do exemplar aqui no blog.

Agora é continuar na correria para que tudo dê certo, e espero que, assim que lançar, vocês adquiram o livro, leiam, curtam e desta forma, apoiem um novo escritor brasileiro de literatura fantástica!

Aproveito, e coloco novamente o link de um capítulo extra do livro que escrevi exclusivamente para o blog CRIATURAS DA ESCURIDÃO, e que é apenas citado no livro:

http://criaturasdaescuridao.blogspot.com/2009/03/uma-breve-previa.html

Aguardem, as novidades apenas começaram!

Me satisfaz ver sua dor, sua agonia, seu medo... Me satisfaz sentir seu cheiro, seu gosto, seu pavor... Me completa ver seu fim, sua ida, sua morte.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Novidades frescas e quentes!

Saudações, noturnos!

Tenho mais novidades para vocês!

Já recebi os exemplares do livro que escrevi (Ficção envolvendo vampiros). Fiquei muito animado com o produto final. O acabamento ficou muito legal!

O que já posso adiantar a todos é que o mesmo possui 288 páginas.

Como disse na última postagem, no momento corro atrás de patrocínios e local para o lançamento, que deve ser em breve. Caso alguém queira patrocinar, seja livraria ou comércio comum, entre em contato o quanto antes, ok? O investimento não será alto para os patrocinadores.

Assim que anunciar o lançamento, já passo todas as informações a respeito do livro e a forma de adquiri-lo, aqui no blog.

Peço desculpas aos visitantes sedentos por conhecer outros materiais sobre vampiros que sempre coloco no blog, mas estou na correria por causa do livro, e sei que vocês entendem e espero que estejam ansiosos para ler!

Em breve, muito breve, vocês conhecerão a estória de uma garota determinada e pronta para buscar vingança... AGUARDEM!

Kampos

O tempo, a vida, a dor... Nada nos importa, nada é importante, apenas, o saciar de nossa imensa e macabra fome!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mais novidades!

Saudações, caros amigos e amigas da escuridão!

Como já é do conhecimento daqueles que já visitaram o blog CRIATURAS DA ESCURIDÃO, eu (Kampos) escrevi minha primeira ficção sobre vampiros.
A novidade é, que depois de meses de trabalho, o livro finalmente será publicado, pela Editora CBJE, do Rio de Janeiro.
Até semana que vem devo estar recebendo meus exemplares. E eu quem realizarei as vendas.
Estou muito ansioso para ver o material pronto em minhas mãos, e tenham certeza que me dediquei muito nesse trabalho!

No momento estou correndo atrás para tentar arranjar patrocínios para realizar um lançamento aqui na cidade de Poços de Caldas/ MG, onde moro, ou no final de outubro/09 ou início de novembro/09.

Por enquanto não revelarei o nome do livro. Vocês devem ter visto os teasers que coloquei aqui no blog, não é?

Aguardem, muito em breve estarei convidando todos para o lançamento.

Conto com apoio de todos!

Kampos

Criaturas magníficas, que desafiam a lógica. Caminham sem um coração batendo, espalham o medo, sem realmente estarem vivos.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Filme: Lost Boys - The Tribe (Garotos Perdidos - A Tribo)

Saudações, amigos vampíricos!

Mais uma vez trago ao conhecimento de vocês uma sequência de filme de vampiros. O filme intitulado Lost Boys - The Tribe (Garotos Perdidos - A Tribo). Se traduzissem de outra forma o título do filme seria mais do que absurdo!

Filme lançado em 2008, nos Estados Unidos, diretamente em dvd. Classificado como Terror (Porém, assisti na tv por assinatura, e o mesmo estava classificado como comédia, já que possui algumas piadinhas no desenrolar da estória). Tem aproximadamente 93 minutos de duração, colorido e é distribuido pelo estúdio Warner Home.
O filme foi muito bem aceito em dvd pelo público, chegando a cobrir os custos de produção em apenas três semanas de vendas.

Dirigido por P. J. Pesce, é uma sequência do filme Lost Boys, de 1987 (Por acaso, primeiro filme de vampiros que lembro de ter assistido, e que já comentei aqui no blog CRIATURAS DA ESCURIDÃO), que traz novamente em seu elenco Corey Feldman, no papel do caçador de vampiros, Edgar Frog.

Sinopse:

Chris Emerson (Tad Hilgenbrink) e sua irmã Nicole (Autumn Reeser) se mudam para Luna Bay após perderem seus pais. O que eles ainda não sabem é que lá encontrarão um grupo de vampiros famintos em busca de sangue. Quando Nicole se apaixona por um deles, Emerson precisa destruir a gangue antes que a transformação de Nicole em vampira se complete. Para isso, ele conta com a ajuda do caçador Edgar Frog (Corey Feldman).

Elenco:

Tad Hilgenbrink - Chris Emerson
Autumn Reeser - Nicole Emerson
Angus Sutherland - Shane
Kyle Cassie - Jon
Greyston Holt - Evan
Corey Feldman - Edgar Frog
Gabrielle Rose - Aunt Jilli
Moneca Delain - Lisa Thompson
Tom Savini - David Von Ett-
Shaun Sipos - Kyle
Merwin Mondesir - Erik
Alexander Calvert - Grom Hutter
Sarah Smyth - Hayden
Corey Haim - Sam Emerson
Jamison Newlander - Alan Frog (Na versão que assisti na tv por assinatura, não vi as cenas que dizem que ele participa, aparentemente são cenas extras, algo assim).

No primeiro Lost Boys, o vilão principal foi o ator Kiether Sutherland (Ainda bem novinho, que faz sucesso no seriado "24 Horas"), já na continuação, foi chamado o meio-irmão de Kiether, Angus Sutherland.

Em 2008, a Editora Wildstorm Comics lançou uma minissérie em 4 partes, mostrando as aventuras dos irmãos Frog (Frogs Brother), intitulada The Lost Boys - Reign of Frogs.



O filme é interessante. Apresenta bastante sangue (Em alguns momentos até exageradamente). Tem seus momentos de comédia também, que não achava necessário. Particularmente, prefiro o primeiro filme, mas esta sequência é legal também. Ouvi dizer que houve outros roteiros escritos, porém descartados.
Tudo indica que uma terceira parte desta sequência deva surgir, e aparentemente já há a confirmação da participação de Corel Feldman e Jamison Newlander. Essa terceira parte se chamaria Lost Boys - The Thirst, com início de gravações em novembro de 2009. Espero que isso realmente aconteça!

Gostaria de saber de quem assistiu se curtiu mais este ou o primeiro filme, então deixe seu comentário. E para quem não assistiu ainda, está aqui uma dica de mais um filme para o público fascinado por vampiros.

Predadores naturais, prontos para matar. Queremos sangue, é simples. Motivados pelo cheiro, pelo gosto e pelo prazer de tomá-lo a força.

Abaixo, assista o trailer do filme Lost Boys - The Tribe (Garotos Perdidos - A Tribo).

video

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Clamando pela Morte (Conto de minha autoria)

Saudações, imortais!

Faz já algum tempo que não escrevo um novo conto para postar aqui no blog. Estava ocupado, principalmente com o livro, que muito em breve, trarei ótimas novidades!

Apesar de atarefado, a ânsia de escrever foi maior, e criei um novo conto, intitulado Clamando pela Morte. Este conto que estou postando.

Espero que gostem, e comentem ao final da postagem.

Sangue que escorre de um corpo sem vida. Sangue escarlate que mancha a escuridão fria.



Autoria: Kampos

Pequenos estalos surgiam conforme pisavam nos galhos. O vento soprava entre as folhas, alertando quanto ao frio que viria. O céu avermelhado logo daria lugar ao véu negro de mais uma noite. Os quatro caminhavam, cada um com uma enorme mochila nas costas, e por alguns momentos, quebrando o silêncio:

- Nossa, mas vamos andar até que dia?!

- Já estamos quase no local, André. Fique tranquilo.

- Tranquilo... Com esses mosquitos me atacando. Que ideia essa, viu!

- Porra, se ele continuar a reclamar vou descer a mão nele!

- Calma, Júlio. Precisamos ter paciência com o André. – Mateus disse discretamente, dando um tapinha em seguida no ombro de Júlio.

- Ele tá reclamando desde quando saímos lá do centro da cidade! – Completou Júlio.

- Eu sei... Eu sei! – Complementou Mateus, em seguida.

Mateus buscava não se incomodar com as reclamações de André, e ao mesmo tempo, controlar o temperamento de Júlio. A única que permanecia quieta, sem expor suas opiniões era Sara, namorada de André.

A caminhada entre as árvores, em meio à floresta, tinha um propósito maior do que apenas um passeio. Buscavam a paz, o equilíbrio para contornar uma situação extremamente difícil. André ainda sustentava em seus pulsos as marcas de sua recente tentativa frustrada de suicídio. Para tristeza do grupo, as marcas não representavam apenas uma tentativa de acabar com a própria vida, mas sim, a terceira. André estava desmotivado, depressivo, com ódio e sem ânimo de viver. Com medo que o pior acontecesse em uma nova tentativa de suicídio, seus melhores amigos, Mateus, de vinte oito anos, o mais velho do grupo, que já apresentava alguns fios de cabelos brancos, e Júlio, o bombado e esquentadinho, que adorava uma praia para fazer graça para as garotas enquanto surfava, decidiram se unir mais ao amigo e tirá-lo da correria da cidade grande. Logicamente, junto a eles, estava a bela Sara, garota nova, cabelos longos, de olhar ingênuo e de corpo atrativo. O namoro quase não mais existia. André, de cabelos desarrumados, roupas amassadas e olhar vazio, estava diferente, vivia em seu próprio mundo, e renunciara totalmente a vontade de continuar entre os vivos. Quando abria a boca era apenas para reclamar. A louca paixão que um dia apresentara por Sara, parecia não existir mais. Ele não demonstrava afeto, apenas indiferença, e isso fazia com que a garota sofresse mais ainda. De longe deixara de ser o brincalhão da turma de antigamente.

Esse passeio mais era uma fuga de tudo, e não havia planejamento. Apenas viram em meio a floresta a chance de tentar reverter a triste situação. Só não imaginavam que estavam indo de encontro a um destino sombrio.

Despertou assim que o Sol partiu. A Lua o chamava. Parecia cantar para ele. Sorriu, ainda deitado. Levantou-se, animado. Não demorou em sentir a presença de sangue quente. Que bela surpresa ao acordar. Ajeitou sua roupa negra, colocou o sobretudo e saiu do covil macabro. Na escuridão, apenas era possível ver um par de olhos que queimavam de fúria e desejo de matar. Nesta noite não precisaria ir longe para acabar com sua sede. Sentiu o aroma no ar. Como um vulto, se locomoveu.

A caça começou.

Já com as barracas armadas e depois de muitas reclamações de André, o grupo encontrava-se sentado em volta de uma pequena fogueira. O frio da noite fazia com que todos ficassem encolhidos, a maioria abraçando as próprias pernas, buscando esquentar seus corpos um pouco mais. Apesar de anos de amizades, pareciam estranhos sentados um ao lado do outro. Um clima pesado rolava entre eles. Tirando André, os outros procuravam uma forma de iniciar uma conversa. Tinham medo de piorarem a situação. Bastou um desabafo para quebrar o silêncio.

- Chega! Não aguento mais isso! – Declarou Sara, começando a chorar.

André apenas olhou, sem demonstrar menor sentimento pela cena. Voltando logo a olhar para as formas que as chamas criavam na fogueira. Este foi o ponto final para a paciência de Júlio que se levantou, bravo:

- Porra, André! Você não está vendo?! Olha como a sua namorada está! Olha como estamos! Até quando vai isso?! – Júlio gesticulava freneticamente, enquanto desabafava em alto tom.

- Senta, Júlio. Senta. – Mateus, mais uma vez, buscava acalmar os ânimos, porém sem sucesso.

- Que sentar! Eu não quero sentar! Eu quero que esse pesadelo acabe! Somos obrigados a ver um amigo nosso, praticamente um irmão, querendo tirar a própria vida! Por que isso?! Por quê?!

André permanecia em silêncio. Nem parecia que ele era o tópico da conversa.

Sara só conseguiu dizer, em meio às lágrimas:

- Volta a ser aquele André! O “meu” André... Por favor!

Enquanto o choro rolava lá embaixo, e os nervos estavam à flor da pele, no alto de uma árvore, ele observava tudo. Sua audição aguçada permitia-o escutar cada palavra. Foi fácil localizá-los, não somente pelo cheiro de sangue fresco, mas também pelo negativismo que havia ali. Isso era como um ímã para a criatura, que mesmo antes de provar do sangue daquelas pessoas já se alimentava pela dor psicológica que os meros mortais sentiam no momento. Aguardava, sem pressa, para atacar. Estava saboreando o desenrolar da história.

André permanecia indiferente, nada o comovia, nem mesmo o choro da namorada ou o apelo dos amigos. Júlio, percebendo que apenas palavras não adiantariam, partiu para cima de André, para a surpresa de todos. Tanto Júlio quanto André rolaram pelo chão. Júlio ficou por cima e agarrou a camiseta do amigo, chacoalhando-o enquanto argumentava em berros:

- ACORDA, ANDRÉ! ACORDA! PARÁ COM ESSAS IDEIAS DE SE MATAR! CHEGA! EU SEI QUE FOI DURO A PERDA DE SEUS PAIS E SEU IRMÃO NO ACIDENTE, MAS VOCÊ DEVE SUPERAR E NÃO SE ENTREGAR!

Mateus correu em direção a Júlio, tentando impedi-lo de machucar André.

- Pare com isso Júlio!

Sara estava em pé ao lado, chorando, desesperada.

Em meio a toda confusão, finalmente André falou:

- ME DEIXA EM PAZ! EU NÃO QUERO MAIS VIVER! NÃO TENHO MAIS PORQUE VIVER! PERDI TODOS! ME DEIXA! EU QUERO A MORTE!

Júlio, Mateus e Sara ficaram estáticos. Pela primeira vez ouviram André declarando o desejo de morte. Ficaram sem ação e perceberam que não adiantaria o que fizessem, André não mudaria de ideia.

Escorrendo uma lágrima, André afirmou mais uma vez:

- Eu não quero mais viver. Quero morrer... Eu quero... eu quero... A MORTE.

E neste momento, algo saltou das árvores, chamando a atenção do grupo.

- Você me chamou... Estou aqui! – Caminhando com calma, a criatura de negro se aproximou da fogueira, revelando seu semblante pálido.

Sara, assustada e sem entender, perguntou:

- Que-quem é você?

- Quem sou eu? Sou um sugador de vidas, um vampiro, sou aquele que seu amigo tanto clama pela presença... Eu sou a MORTE. – O vampiro sorriu, deixando visível seu temível cartão de visitas, suas longas presas.

Sara entrou em choque, e começou a berrar. Mateus ficou a olhar o cidadão de sobretudo preto e estatura mediana, enquanto Júlio soltou André, colocando-se ereto, de frente para a estranha figura.

- Olha cidadão! A situação aqui já está tensa o suficiente para aguentarmos um mané de dentes defeituosos! Cai fora! – Júlio estufou o peito, na tentativa de intimidar o estranho com seus músculos.

- Eu estou aqui para resolver o pequeno impasse de vocês. – O vampiro sorria de forma maliciosa, não demonstrando mínima intimidação pela presença de Júlio.

- VAI A MERDA, CARA! – Júlio não perdeu tempo e partiu para cima. Armando um soco com a mão direita, Júlio aproximou-se do vampiro que permanecia parado. O rapaz não hesitou e desferiu o golpe mirando o rosto do adversário de pele pálida. Porém o golpe não o atingiu, simplesmente o punho de Júlio rasgou o ar, desequilibrando-o, fazendo com que caísse ao chão.

Mateus não acredita no que viu. Ele tinha certeza que Júlio acertaria o oponente, mas do nada o cara simplesmente sumiu, como se evaporasse no ar.

- O que aconteceu?! – Júlio perguntou, ainda agachado.

- Surpreso? – A macabra voz partiu detrás de Júlio, que ficou espantado.

De repente, uma mão forte agarrou seu pescoço por trás, e com extrema facilidade, o ergueu.

- Você é fraco! Pensa que músculos de algo adiantariam contra um ser como eu?! Hahahahaha – O vampiro permanecia com Júlio preso em sua mão direita. A vítima não relava os pés no chão, e a dor no pescoço aumentava.

- LARGA ELE! – Mateus gritou, saltando contra o vampiro, que surpreendentemente o agarrou com a mão esquerda.

- TOLOS! – Berrou o vampiro com uma voz amedrontadora.

Sara permanecia em choque. Chorava e gritava, enquanto André nem mexia. Estava agachado, com olhos arregalados.

- Já brinquei com vocês, agora é hora de me alimentar. – O vampiro levou para perto de sua boca Júlio e mordeu com força suas costas, fazendo com que o rapaz, com o pouco de força que lhe restava, berrasse de dor. O vampiro fez questão de arrancar um pedaço de carne, rasgando assim também a camiseta do rapaz. O sangue jorrava e o vampiro se deleitava. Como em um banquete, ele revezou para o próximo “prato”, não soltando Júlio ainda. Mordeu o ombro de Mateus, gerando mais berros de dor e mais sangue espalhado. Mateus socou de forma desengonçada o vampiro várias vezes, mas nada adiantava. Os dois amigos berravam enquanto permaneciam em poder do agressor, que sem paciência, decidiu acabar com o barulho.

- CALEM A BOCA! – Ao mesmo tempo que ordenava, cuspindo sangue que se encontrava por toda sua boca, o vampiro levou a cabeça de um contra a do outro, com grande velocidade e força, fazendo ambas se chocarem, seguindo um estrondo, e assim, espalhando pedaços para todos os lados, espirrando sangue até em André e Sara. A garota, pronta para desmaiar, caiu ajoelhada no chão, perto de André, que permanecia como uma estátua, porém agora com gotas de sangue de seus amigos recém-mortos em sua face.

A boca do vampiro ganhara uma coloração escarlate. O sangue escorria até seu queixo. Calmamente foi em direção a Sara, que não tinha forças para correr. André acompanhava apenas com os olhos, e o vampiro permanecia a encará-lo. Lentamente o vampiro pegou a garota pelo pescoço, sem sofrer qualquer objeção. O vampiro olhava nos olhos de André, como se esperasse dele alguma reação.

- Sua namorada, não é? – Perguntou o vampiro. – Ouvi toda sua história. – Completou – A morte não é algo bonito, nem sempre é calma e satisfatória. – Enquanto falava e encarava André, o vampiro caminhava arrastando a garota pelo pescoço, em direção a fogueira. – Já morri, e contemplei o outro lado. Já matei, e vi o sofrimento nos olhos de cada vítima. Estar morto não significa estar em paz, isso te garanto. – O vampiro ergueu um pouco a moça, e foi aos poucos aproximando o rosto dela das chamas da fogueira. A garota já sentia alguns fios de cabelo se queimando.

O vampiro deu uma pausa no que dizia, como se quisesse escutar as brasas do fogo estalando, como se suplicassem pela carne.

- Já te mostrei como a morte pode vir rápida, como foi com seus amigos. Agora vou te mostrar como ela pode ser lenta e dolorosa, o que certamente atormentará a alma para o resto da eternidade. – Súbito, a criatura levou a cabeça de Sara para dentro das chamas da fogueira. A garota começou a espernear e se debater, berrando de dor. As chamas aumentaram, inclusive consumindo a mão do vampiro, que aparentava sentir prazer pela dor. O cheiro de carne queimada tomou conta do ar. A força do vampiro era tamanha, que não importava o que Sara fizesse, ela não conseguiria soltar-se da mão de seu carrasco. E a garota berrava cada vez menos, aos poucos parando de se mover, aos poucos tendo o rosto desfigurado, e aos poucos, perdendo o que lhe restava de vida. Dos olhos de André, apenas uma lágrima escorria, enquanto encarava a cena, sem mover um músculo.

Morta, o vampiro soltou o que sobrou da garota nas chamas, deixando que o fogo começasse a consumir o corpo da falecida. A mão do vampiro, praticamente apenas em ossos, parecia não incomodá-lo. Caminhando alguns passos, parando em frente ao rapaz agachado, o vampiro, com seus olhos que se assemelhavam as chamas da fogueira, perguntou:

- E então, estou aqui! O vampiro, o carrasco, a morte tão clamada por você... E agora, me diz, do fundo dessa alma atormentada, o que você quer?

Então ali, naquele momento, olhando a face da morte, diante da medonha criatura que possuía em sua boca o sangue de seus amigos e que matara sua namorada de forma tão cruel, o rapaz contemplou o que realmente significava morrer e soube o que queria. Chorando, respondeu:

- Eu quero... eu quero... VIVER.

- Patético! O medo da morte é maior que o desejo mórbido, não é? Pena para você, que só percebeu isso após seus amigos e namorada serem mortos! Hahahaha! – O vampiro virou-se e caminhou em meio às árvores como se nada tivesse acontecido, e sumindo entre as sombras, já saciado. Satisfeito pelo joguinho. Para alguns, o fato do vampiro permitir que o rapaz vivesse poderia parecer um ato piedoso, mas pelo contrário. O vampiro já estava saciado de sangue, já havia torturado a garota e para seu deleite, mesmo sem causar danos físicos em André, conseguira acabar com algo de mais importante para um mortal, a sua alma, que permaneceria eternamente atormentada pela morte de seus companheiros.

André, agachado, chorando, e agora, sozinho, finalmente percebeu que a morte não era a saída fácil, a solução, que imaginara. A morte era horrenda, triste e assustadora. Não poderia fugir do mundo, o preço era alto demais. Deveria superar sua dor. Seu corpo poderia morrer, mas sua alma permaneceria a sofrer. Infelizmente, o vampiro estava certo. Só foi possível enxergar o que seus amigos e sua amada namorada diziam tanto a ele, ao ver as suas trágicas mortes. Perdera sua segunda família. Em prantos, deitou-se no chão, encolhido, e ali ficou.

Após um dia e meio, um grupo de pessoas encontrou o acampamento. A cena era horrível e o cheiro também. Dois mortos sem cabeça e um corpo carbonizado, e ali, entre os cadáveres, apenas um sobrevivente que foi rapidamente levado para o hospital local. Quando foi indagado sobre o que aconteceu, a única coisa que o rapaz conseguia dizer era: “Eu quero viver.”.

André nunca mais foi o mesmo. Permaneceria os restos de seus dias em uma instituição mental. Sua alma estava em pedaços. A culpa era um sentimento constante. Sabia que deveria resolver seus dilemas em vida, para que, quando a morte chegasse, tivesse a chance de ir em paz. Mas apesar de tudo que acontecera, estava vivo, e tinha certeza de algo... Nunca mais clamaria pela morte.

Fim




segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Desenho: Vampiro no cemitério

Saudações, caros amigos e amigas da noite!

Apresento a vocês mais um desenho de minha autoria, logicamente, com o tema "Vampiro".
Intitulei de "Vampiro no cemitério".

Espero que gostem do desenho!

Peço a gentileza de não utilizar meus desenhos, contos ou qualquer outro material sem minha autorização, ok?!

Em breve, novidades... Aguardem!

A noite é nossa... Não há como negar! Seja esperto e se esconda, senão iremos te encontrar!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Filme John Carpenter´s Vampire (Vampiros de John Carpenter)

Saudações, imortais!

Continuando as atualizações, e sempre apresentando mais algum produto da mídia no qual os sugadores de sangue são o centro, apresento a vocês mais um filme, intitulado John Carpenter´s Vampires (Vampiros de John Carpenter).

Criado pela mente do terror, chega uma nova espécie do mal.

Lançado em 1998 nos Estados Unidos, com direção de John Carpenter, o filme tem como gênero o terror, com duração de aproximadamente 108 minutos, chegou a ter mais dois filmes de sequência em 2002 e 2005, sendo o de 2002 "Vampiros Os Mortos" tendo como protagonista o cantor e ator Jon Bon Jovi.



Sinopse:

Desde quando foi obrigado a matar seu pai, que tinha virado um vampiro que depois de atacar sua mãe quis subjugá-lo também, Jack Crow (James Woods) vive para se vingar. Quando adulto se tornou um fanático caçador de vampiros que trabalha de forma profissional com uma boa equipe, que o ajuda a localizar os "ninhos" e exterminar os vampiros. Uma noite, após a bem sucedida destruição de um "ninho" no qual nove vampiros foram mortos, Crow estava insatisfeito, pois o Mestre Vampiro não tinha sido morto. Quando todos ainda festejam o fato do covil ter sido dizimado, Jan Valek (Thomas Ian Griffith), o Mestre Vampiro, surge no Sun-God Motel, onde a equipe de Crow e algumas prostitutas se divertiam. Quase todos são mortos, mas curiosamente na hora do ataque Valek chamou Jack pelo nome, como se estivesse sendo ajudado por alguém de fora. Jack sabe que os vampiros procuram algo grande: a Cruz de Berziers, que Valek procura há seiscentos anos e que permitirá que os vampiros caminhem de dia. Diante desta situação Jack parte no encalço de Valek, juntamente com Tony Montoya (Daniel Baldwin), o único da equipe que sobreviveu, e Katrina (Shreyl Lee), uma prostituta que logo se tornará uma vampira e que manterá uma ligação mediúnica com Valek, o que permitirá a Crow rastrear o líder dos mortos-vivos. Eles se envolvem ainda com o recentemente nomeado Adam Guiteau (Tim Guinee), um padre inexperiente que sabe alguma coisa sobre a "Cruz", sendo que juntos tentarão achar "A Cruz Negra", pois se falharem as conseqüências poderão causar o fim da raça humana.

Elenco:

James Woods (Jack Crow)
Daniel Baldwin (Tony Montoya)
Sheryl Lee (Katrina)
Thomas Ian Griffith (Jan Valek)
Maximilian Schell (Cardeal Alba)
Tim Guinee (Padre Adam Guiteau)
Mark Boone Junior (Catlin)
Gregory Sierra (Padre Giovanni)
Cary-Hiroyuki Tagawa (David Deyo)
Thomas Rosales Jr. (Ortega)
Henry Kingi (Anthony)
David Rowden (Bambi)
Clarke Coleman (Davis)
John Furlong (Padre Molina)
Frank Darabont (Homem no Buick)

O filme segue um estilo western, mostrando um esquadrão de extermínio de vampiros. É interessante, porém nada muito extraordinário. As sequências ainda não vi inteiras, só um pedaço de "Vampiros Os Mortos", e não parece diferenciar muito deste primeiro.
Os vampiros da estória não podem caminhar à luz do Sol, e por isso o mestre persegue uma cruz negra que daria a ele o dom de caminhar em qualquer hora, fosse sob o Sol ou sob a Lua. Essa parte da estória achei bem interessante, uma motivação para o vampiro, que não sai somente matando, mas perseguindo um ideal. Mesmo eu sendo fã do vampiro que sia matando nas estórias apenas por prazer.

A dica está ai, e quem quiser assista, e depois deixe seus comentários aqui.

Conhecia o filme? Acha este o melhor da sequência? Comente ao término desta postagem.

Caçadores são tolos se pensam que possuem o que é necessário para nos exterminar. No final da noite, são eles que terminam sem vida a sangrar.

Abaixo, assista trailer do filme John Carpenter´s Vampires (Vampiros de John Carpenter).

video
 
BlogBlogs.Com.Br